domingo, 8 de julho de 2012

O CHOQUE CULTURAL E A INTELIGÊNCIA



Vamos voltar pra parte mais científica da coisa...

   Durante seu intercâmbio, você terá alguns dias frustrantes e desanimadores. Você pode se sentir totalmente dominado (sem ação) entre os nativos, no começo, ou pode simplesmente ficar confuso com palavras ou frases específicas. Talvez você se sinta com vontade de voltar para casa porque sente saudade dos amigos e da família. Todos esses sentimentos e emoções são sintomas do “choque cultural”.

   “Eles não fazem a coisa certa aqui!” não é uma boa reação. Você terá surpresas e assombros, mas precisa ter consciência de que ser diferente e estranho não significa que sejam esquisitos e errados.  Porque todos nós aprendemos desde pequenos sobre valores básicos e exemplos de comportamentos; então tendemos a assumir que a maioria de nossas crenças e comportamentos são “naturais” e são de padrão comum do universo. 

     Durante as primeiras semanas da sua estada, certamente você passará por um choque cultural e provavelmente ficará com saudade de casa. Isso já é esperado. Você terá opiniões negativas de muitas coisas, tudo que sonhou antes do seu embarque parece não ser nada interessante. Você irá para cama cedo e tentará acordar o mais tarde possível, freqüentemente ficará sozinho no seu quarto para evitar encarar o desconhecido. Provavelmente comerá muito para compensar.

      Para limitar ao máximo possível os efeitos da saudade, você deve se envolver em atividades (esportes, visitas, jogos, lições de casa...). Isto manterá sua mente ocupada e você esquecerá que seus pais ou pessoas queridas estão longe ou que tudo está diferente no seu país hospedeiro.

     É importante perceber que o que está acontecendo com você é comum para pessoas em novos ambientes. O mais importante é fazer algo para ajudar a aliviar essas emoções.

Exemplos de sintomas do choque cultural:
ü Tornar-se mais tímido e quieto do que geralmente é;
ü Tornar-se mais encrenqueiro e fazer coisas que geralmente não faz;
ü Isolar-se e sentir tristeza;
ü Freqüentemente sentir-se frustrado, mesmo em situações que não são novas para você;
ü Tornar-se muito crítico em relação ao país de intercâmbio achando que “tudo é melhor no meu país”;
ü Apegar-se a um membro da família hospedeira ou amigo ao invés de fazer novos amigos;
ü Sentir-se cansado ou com dor disso ou daquilo o tempo todo: dor de estômago e de cabeça são sintomas comuns.



Algumas coisas que podem lhe ajudar são:
ü Deixe sua família hospedeira e seus coordenadores de intercâmbio cientes de que você está passando por esta fase.
ü Envolva-se em uma atividade;
ü Faça  algum exercício físico;
ü Faça algo por outras pessoas. Desta forma, você prestará menos atenção em você mesmo.
ü Faça, num papel, um paralelo de todas as experiências maravilhosas que você poderá ter  durante sua estada.

Você não deverá:
ü Ligar para o Brasil quando está aborrecido; piora a situação e deixa sua família preocupada porque eles não podem te ajudar;
ü Trancar-se no quarto com música, fotos, cartas e vídeos de casa;
ü Entrar na internet e redes sociais e conversar com seus amigos e família brasileira.



O que contribui para o choque cultural:

§  Comida: A comida do país hospedeiro talvez seja bem diferente da comida que você está acostumado. Neste caso, você deveria tentar comer os alimentos que lhe parecem familiares e que não representem muita mudança. Depois de um tempo, você começará a se acostumar com os hábitos de comer dos nativos. Cuidado com o peso!! Como você estará tenso, ansioso, um pouco estressado no seu novo ambiente, poderá querer compensar com a comida. Tente prestar atenção ao que você está comendo ou arriscará ganhar bastante peso! Envolver-se em esportes ajuda bastante a manter o seu peso. Os brasileiros que fazem intercâmbio na França, pelo que pude perceber, são os que mais estranham a comida, tanto pelo paladar, como pelo horário das refeições, como pelo aspecto dos alimentos preparados.  Os brasileiros que vão para os Estados Unidos são os que mais engordam. Já vi intercambiário comentar que a família hospedeira, em 3 pessoas, conseguiu consumir um bolo doce de 1,5m X 1,5m em menos de meia hora. E algumas considerações para quem está indo pra hospedagem em casa de família: a família não vai cozinhar pra você! Esqueça isso. Ninguém vai fazer teu prato predileto. A família não vai comprar frutas e verduras porque você colocou no seu application que você é natureba. Mas é importante que você saiba que: se na sua família tiver um diabético e toda a comida que se faz na casa, é pensando no diabético, saiba que é essa comida que você vai comer. É família, não é hotel e não tem um cardápio aonde você escolhe o que lhe convém.  Nada impede também que de vez em quando, você faça um prato típico brasileiro para a sua família hospedeira.

§  A Língua: A dificuldade com a língua é um dos maiores fatores que contribuem para o choque cultural. Você pode parecer quieto e desinteressado para sua família hospedeira quando, na verdade, está somente cansado demais para se concentrar totalmente ou conversar. Sua família hospedeira pode achar difícil entender esse tipo de concentração e o esforço que ela requer de você, para falar na língua do país estrangeiro o tempo todo. Você pode se sentir frustrado com sua inabilidade para expressar idéias e sentimentos. Por ser forçado a se comunicar em um “nível simples”, você pode se sentir como uma criança, ou incapaz de ganhar o respeito dos outros como você faria em seu país. Como você provavelmente estará nervoso porque inglês, francês, holandês, alemão, etc... não é sua língua mãe, nas primeiras semanas você estará preocupado com a idéia de cometer um erro. Não tenha medo de cometer erros. Uma das partes divertidas do intercâmbio, é rir dos próprios erros. Não se preocupe, é normal. Seja paciente e tente se expressar com calma. Sua nova família e novos amigos sabem que você não domina a língua muito bem e que está se esforçando para aprender. Só faça o melhor e lembre-se que, para aprender, você precisará errar e ser corrigido. Quanto mais você tentar, mais as pessoas vão te admirar pela insistência e coragem. Um conselho: leve um dicionário e escolha 5 a 10 palavras todos os dias que você tentará colocar numa conversação com sua família hospedeira ou amigos. Isto aumentará seu vocabulário e facilitará sua integração e sua habilidade de entender as pessoas. Um situação engraçada aconteceu com a estudante Carolina. Não sei se vocês sabem, mas dentes e tetas se pronunciam de forma muito parecida (teeth and tits). Todas as noites, após o jantar, a família hospedeira de Carolina sentava numa sala pra bater papo e jogar. Como Carolina usava aparelho nos dentes, ela pedia licença para escovar os dentes antes de participar do bate-papo. Após uns dois meses de programa, a irmãzinha do intercâmbio diz pra Carolina: Carolina, a pronúncia correta de dentes é ... e você tem escovado as tetas todas as noites. Outra situação foi com a menina Patrícia que não entendia muito bem porque o pai hospedeira falava tanto em pedras e só depois de um tempo, ela entendeu que na verdade, ele estava falando do evento Rock in Rio. Não era sobre pedra alguma. Outro caso ...outro mico na verdade... cereal matinal e órgão sexual feminino, em alemão, também tem pronúncias muito semelhantes. Então, você pode imaginar a situação quando a mãe hospedeira alemã perguntava ao intercambiário: “ o que você deseja comer no café da manhã? E ele achava que estava respondendo sucrilhos. As crianças fazem a diferença no seu intercâmbio. As crianças tem coragem de te corrigir, seja qual for a situação. A irmãzinha hospedeira do Ivan, etiquetou toda a casa antes da chegada do Ivan. Colocou etiqueta na geladeira, na maçaneta, o fogão, no micro-ondas, em tudo. E quando o Ivan falava errado, ela ensinava o Ivan a falar o certo e fazia o Ivan a soletrar. Mas ele disse que deve o aprendizado rápido, a irmãzinha hospedeira.

§  Sua Vida Social: Uma das principais razões de estar fazendo intercâmbio é conhecer pessoas diferentes. Você terá oportunidade de fazer isso também,  através da sua família hospedeira. Seus pais hospedeiros apresentarão você para a família, amigos... Isto talvez seja cansativo, mas você certamente não deve desprezar estes contatos. Eles são muito importantes para sua integração. Quanto mais você conhece pessoas (adultos ou adolescentes, inclusive crianças), mais você terá a oportunidade de descobrir novas atividades, novas oportunidades, novas diferenças... No meio de uma conversa, tome cuidado para não fazer comparações: no Brasil ‘isso’ é melhor, no Brasil ‘isso’ é pior. Seja sempre humilde e simpático. Lembre-se que dar um sorriso sincero, às vezes resolve uma situação embaraçosa. O brasileiro costuma ser bastante amoroso, carinhoso e demonstra sempre isso com abraços e  beijos. Você pode continuar fazendo dessa maneira, mas verifique se não estará sendo mal interpretado. Converse com sua família hospedeira e com seus amigos do país hospedeiro sobre os cumprimentos habituais comumente usados.

§  Escola: Você irá para a escola com estudantes mais ou menos da sua idade. Você é quem tem que dar o primeiro passo, tentar integrar-se em um grupo... O primeiro contato pode ser difícil, já que eles não o conhecem. Talvez fiquem impressionados ao ver você e não saberem o que dizer. Vá em frente! Mostre quem você é e tente investir nas amizades. Isto levará algum tempo, mas se você for determinado, terá sucesso. Se outros intercambistas ou estudantes do seu país morarem perto da sua casa ou tiverem aulas na mesma escola que você,  tente ter o mínimo de contato  com ele(s). Isso pode atrapalhar sua integração e você tem que prestar o máximo de atenção possível na sua família hospedeira e amigos nativos. Se deixar os nativos de lado por muito tempo, você será aos poucos excluído e não aprenderá nada sobre o país hospedeiro. Se você encontrar outros intercambistas do Brasil enquanto há nativos ao redor não fale em português! Você deve continuar falando inglês/francês/holandês, etc... para evitar excluir os seus novos amigos. Você deve tomar cuidado com isto, se falar na sua língua enquanto eles estão perto, eles te acharão rude.

§  Ajuste: Finalmente, você percebe que encontrou o seu próprio jeito de fazer as coisas. Você descobriu que você é forte e que pode fazer um monte de coisas . Você se sente fortalecido, corajoso. Você passa a dar importância pra coisas que antes não dava. E coisas que antes tinham importância, deixam de ter importância. Você inventou uma nova forma de fazer coisas que antes fazia. Você tem uma outra visão sobre um monte de outras coisas. Você se ajustou a esta nova cultura. E esse seu jeito  é somente “um jeito” entre muitos outros diferentes.

Existem várias definições para a palavra inteligência. E uma das definições diz que inteligência é a capacidade de se adaptar adequadamente a novas situações.

E nos próximos capítulos vamos falar de outras fases: o mês a mês do seu intercâmbio, o contato com quem você deixou aqui no Brasil e outras coisas ainda sobre fases

Um comentário:


  1. First off I want to say fantastic blog! I had a quick question which I'd like to ask if you don't mind. I was curious to find out how you center yourself and clear your mind prior to writing. I've had difficulty clearing my mind in getting my ideas out there. I truly do take pleasure in writing but it just seems like the first 10 to 15 minutes are generally lost just trying to figure out how to begin. Any ideas or tips? Many thanks! capitalone.com login

    ResponderExcluir

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.