sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Família? O que você sabe sobre eles?



A  família, em especial a família hospedeira voluntária que não recebe ajuda de custo para hospedar e a família que recebe ajuda de custo (excluímos a família remunerada prestadora de serviços de acomodação) é selecionada, verificando sempre, o entusiasmo e interesse genuínos no estudante e seu país. Você não é um hóspede. Você é um membro da família, porém sem muitas informações por “ter perdido” a maior parte do que eles já passaram. Ou seja, você não viveu ali naquele ambiente até então, e você não sabe o que é importante para eles, o que eles comemoram, o que os deixa tristes, você não sabe nada.

Quando você preencheu seu application, você colocou suas melhores características, seus pais destacaram suas maiores qualidades, e você colocou fotos de momentos felizes e de diversão. Você, com certeza, não colocou uma foto de quando você estava dormindo e babando, ou tinha acabado de acordar e estava descabelado, nem foto “brigando” com seu irmão, também não colocou que reclama pra estudar, que faz coisas escondidas  e outras mais.
Essas coisas a família saberá, e verá, somente quando você estiver lá, no seu dia-a-dia durante o intercâmbio.

A mesma situação se aplica a sua família hospedeira. Quando da entrevista e seleção das famílias, elas não são questionadas sobre o comportamento e temperamento de cada membro, e muito menos revelarão detalhes íntimos que você, morando na mesma casa, saberá.

Então, tanto os seus podres, como os podres da família, só vão aparecer durante o convívio. E tem, ah tem!


Então, vamos combinar:
- você preencheu uma documentação com informações a seu respeito para poder participar do intercâmbio e sua família hospedeira também;
- não existe família perfeita, assim como não existe intercambiário perfeito, senão não seria família e não seria intercambiário;
- mas é só a convivência que vai revelar se vai dar certo ou não....
É bom lembrar que o esforço de adaptação é de quem chega, e que você deverá ser uma pessoa de fácil convivência.

O melhor exercício pra fazer é o da EMPATIA. Sempre que você achar que a família está errada, que não devia ter agido de tal forma com você, a primeira coisa que você deve fazer: COLOQUE-SE NO LUGAR DELES e se questione...algo como... se eu tivesse um intercambiário na minha casa e fizesse o que eu acabei de fazer agora com os meus pais, como eu e meus pais reagiríamos?

A família hospedeira espera que você:
- observe e aprenda como uma criança, mas sem agir como criança
- seja independente
- seja direto
- seja amigo
- mostre respeito
- seja educado
- respeite as regras da casa
- peça ajuda quando precisar
- não transforme a casa deles num albergue
- não fique muito tempo no computador ou no seu quarto e passe algum tempo com eles
- participe da vida da família.



Ah, mas na minha família hospedeira só tem criancinhas, eles não tem nada a ver comigo, como podem ter me escolhido pra morar com eles?

Quando eu pergunto nas reuniões.... "_ Futuros intercambiários desse meu Brasil varonil,  o que seria uma família hospedeira ideal pra vocês?"

E eu escuto cada coisa:
"_  Eu queria ter uma irmã gostosona." 
" _ eu queria ter um irmão gato."
Tome tento! Molecada! 

Amiguinho, o seu irmão da sua idade pode ser um porre! Tá ligado!
Não existe uma situação perfeita, ou ideal. Você pode achar que ter uma família hospedeira que tenha adolescentes e irmãos da sua idade seja mais vantajoso do que uma outra família com crianças, por exemplo. Qualquer que seja a situação, aproveite os lados positivos.

Ter irmãos adolescentes pode ser uma vantagem, eles podem sim se tornar os seus amigos no intercâmbio, mas também podem ser os primeiros a ter um certo ciúme de você e da atenção você está atraindo pra você. Uma outra coisa é que muitos adolescentes trabalham. Preconceito de profissão é uma coisa de Brasil. Os países que comumente são receptivos de intercambistas, são países que não tem nenhum preconceito de profissão e muitos adolescentes trabalham meio período como garçonetes, caixas, babysiter, entre outros.

E se tiver crianças? A criança vai encher o saco, óbvio. Talvez você tenha que fazer o papel de irmão mais velho, como por exemplo, ficar com a criança pra mãe ir a um compromisso, assim como seria sua casa no Brasil. No entanto, a criança é a única pessoa que vai lhe corrigir se você falar errado. Tem criança que coloca etiqueta nomeando coisas que você nunca aprendeu a falar como maçaneta, torneira, privada, etc. Então, quem tem uma criança na família hospedeira acaba “aprendendo” o idioma do país mais rápido, no entanto, vai ter que dedicar uma parte de seu tempo para brincar, conversar, montar quebra-cabeça com essa criança.

Assim como, estudantes que são colocados em famílias sem filhos, ou só uma mãe ou só um pai recebem mais atenção do que um adolescente que foi pra uma família com mais membros. São pessoas que tem um tempo maior para conversar, passear e dividir experiências.

E no próximo capítulo, vamos ver histórias engraçadas sobre as situações acima e também....

Mas por que eu não tenho família hospedeira ainda? Eu fui um dos primeiros a me inscrever. O que tem de errado comigo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.