domingo, 4 de novembro de 2012

Parte 4 - Revalidação dos estudos? - um bando de dúvidas?


Conforme prometi, neste capítulo "vamos conversar" sobre as perguntas mais frequentes sobre assunto revalidação dos estudos:

I)     Se o estudante vai embarcar para este programa (high school), até quando tem que continuar estudando, até que dia tem que ir a escola aqui no Brasil? 

- se você visitar o portal do MEC, não encontrará uma resposta para isso. A Lei que veio estabelecer as diretrizes para tudo, ou seja, a LDB de dezembro/1996, não tem uma resposta exata pra isso.Mas ao longo dos anos,  tivemos vários pareceres que começaram a ser usados como base para decisão de casos de revalidação de estudos no exterior...e mais umas espécies de emendas à lei original como forma de regulamentar de forma mais específica um determinado assunto.

Vamos ser mais práticos? Vamos lá...
- um dos pareceres, por exemplo, dizia que o aluno, por ter decidido fazer um high school, parou de estudar no Brasil em abril de um ano, embarcou em agosto do mesmo ano para o exterior e voltou com as notas, um ano letivo depois. Ele perdeu o ano escolar no Brasil, não porque foi para o intercâmbio, mas porque parou de estudar muito tempo antes do embarque. Este caso virou um PARECER. E muitos delegados de ensino o usam como uma espécie de jurisprudência sobre o assunto.
- a partir deste parecer, a maioria dos delegados de ensino, acreditam que não deve existir um prazo superior a 30 dias entre uma escola e outra.
- ou seja, se você está sendo "transferido" de uma escola pra outra para CONTINUAR, para PROSSEGUIR os seus estudos, não deverá existir um intervalo sem frequência superior a 30 dias entre uma escola e outra.
- lógico que períodos de férias não contam.
- portanto, se um estudante de intercâmbio está embarcando para a Espanha, por exemplo, com o objetivo de fazer um ano letivo de high school... o ano letivo na Espanha começa no final de setembro ou início de outubro, dependendo da escola. E se o estudante ficar sem frequentar as aulas aqui no Brasil, em agosto e setembro, poderá ter problemas para revalidar os estudos na volta.
- existe uma "teimosia" (resistência) dos pais com relação a este assunto, e normalmente porque não querem arcar com o valor da mensalidade da escola de julho e de agosto, já que  o filho vai embarcar para um high school no hemisfério norte.
- é importante ressaltar que "coisas" podem acontecer aqui ou no destino, que posterguem o embarque e isso pode comprometer o ano escolar, se o estudante tiver parado de estudar esperando o embarque.

- vou dar aqui os exemplos que conheço:

1) teve uma época em que era necessário visto de estudante para quem ia como um intercambiário para a Alemanha. Para aplicar para o visto, o estudante precisava ter a informação da família hospedeira, da escola, e de declarações da organização internacional. No entanto, naqueles dias, o cônsul do Consulado Alemão no Brasil mudou e o novo cônsul que assumiu decidiu que ia seguir as regras; e pelas regras, o consulado tinha um prazo de 3 meses para dizer se o estudante teria o visto ou não. E , obviamente que o cônsul só disse 90 dias depois que não daria o visto para o estudante. Numa situação dessas, se o estudante não parou de estudar no Brasil por conta do futuro embarque, o ano escolar está a salvo. Caso contrário, o ano escolar pode ser perdido por conta do tempo que o aluno ficou sem ir à escola. Hoje em dia nem é mais assim o procedimento para visto na Alemanha.
2) a segunda situação que enfrentei, diz respeito a uma estudante que ficou doente próximo ao embarque, na verdade, ela quebrou a perna, teve que passar por cirurgia antes do embarque. Se ela tivesse parado de estudar esperando o embarque, poderia ter perdido o ano escolar. A sorte dela foi não ter parado de ir à escola.
3) já tive estudante que, ao chegar na escola americana, antes que iniciasse o período letivo foi suspenso por um mês por conta do inglês muito pobre. É outra situação que o tempo poderia ter comprometido o ano escolar.

Então, você querido futuro intercambiário de high school, que está ansioso para embarcar, vai para a escola no Brasil até embarcar para o intercâmbio:
a) você não tem nada pra fazer mesmo;
b) é uma forma de passar mais um tempinho com seus amigos antes de embarcar;
c) ajuda a lidar com a ansiedade do embarque pois você se manterá ocupado;
d) quanto mais se aproxima o embarque, mais chato você fica e menos todo mundo tem paciência com você em casa, então vá para a escola.
e) e você, meu querido, fica insuportável quando está pra embarcar.Então, melhor ir pra escola, acredite!



II) o estudante tem que ter notas boas para embarcar? E se não tiver o que acontece?
Vamos lá: para ter os estudos revalidados, o estudante de ensino médio deve cursar as disciplinas de núcleo comum, conforme já relacionamos anteriormente, ter notas aprovatórias e ter frequentado a escola (não ter faltas).
Vamos supor que você, está no 2º ano do ensino médio, ou no 11º ano escolar aqui no Brasil. E aí em agosto, você embarca para o programa de high school para ficar um semestre letivo no exterior.
Quando você voltar ao Brasil, você entra no 3º ano do ensino médio e segue os seus estudos normalmente.
E como fica o seu boletim ou o seu histórico escolar?
Fica assim:
- na parte das notas do 2º ano, vem listadas as matérias que você cursou e as notas que conseguiu até o seu embarque. E como você concluiu no exterior, virá com uma nota dizendo "concluído no exterior de acordo com a LEI  LDB (Lei de Diretrizes e Bases) 9394/96 e mais etc" 

No entanto, para que isso aconteça, você deve ter deixado tudo muito bonitinho aqui e fazer tudo bonitinho lá no país de intercâmbio.
Se não o fizer, a escola daqui, pode exigir que você, ao retornar, faça adaptações (DP/dependência) das disciplinas que deixou com notas reprovatórias antes do embarque. Neste caso, a escola permite que você, aqui no nosso exemplo, se inscreva no 3º ano, mas terá que cursar as matérias pendentes no 2º ano.
O que a gente vê acontecer é o brasileiro dar um jeito nisso: se a escola para a qual ele deveria voltar, exigir isso, o estudante e seus pais procuram uma escola que não faça tal exigência. Mas aí, você não se forma com a turma da escola que deixou pra trás.Vai ter que se formar com uma turma diferente.
Entendeu?
Ou ficou confuso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.