domingo, 21 de julho de 2013

Work and Travel - Trabalhe legalmente nos EUA durante as férias de faculdade.



Este programa destina-se a universitários, que tenham entre 18 e 26 anos.
É realizado durantes nossas férias de final de ano: final de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro.
Portanto, um dos pré-requisitos para embarcar neste tipo de programa é estar cursando uma universidade.
Se não for assim, o visto não sai.

Logo, nos meados de novembro, o estudante universitário brasileiro embarca para os Estados Unidos, e durante 3 meses trabalhará. Os trabalhos oferecidos são, geralmente, em estações de esqui (uma vez que lá é inverno), restaurantes, cassinos, hotéis, fast foods em geral. As funções mais comuns são: garçom, garçonete, caixa, arrumadeira, passadeira, atendente, etc.

Não é um programa para aprender inglês. No máximo, o candidato praticará o inglês e enriquecerá o vocabulário. O candidato não frequentará uma escola em momento algum.

Este é um dos programas que mais dá problema: o programa é oferecido corretamente pelas agências de intercâmbios, no entanto, noto que os candidatos, mesmo orientados, alimentam expectativas que não são reais, por acharem que lá as coisas seriam diferentes.
E, quando estas expectativas não se concretizam, voltam frustrados do programa e antes do término.
Ninguém sai enganado do Brasil, mesmo porque, o candidato escolhe a vaga de trabalho antes de deixar o Brasil. As agências de intercâmbio apresentam as opções de trabalho e o candidato escolhe esta ou aquela vaga.
Quando o candidato escolhe, vem todo um descritivo. Se vai ter refeições, se não tem; se o empregador arrumará a acomodação ou se o candidato precisa providenciar isso; em algumas vezes, o empregador apenas indica opções de acomodação. Os ganhos por hora também são informados antes de deixar o Brasil.

Então, vamos esclarecer as coisas: o candidato precisa ter uma estrutura psicológica;  um nível intermediário da língua e vontade e disposição pra pegar no batente.E não pode ter frescura!
Na maioria das vezes, os ganhos com este tipo de intercâmbio praticamente empatam com os gastos de moradia e alimentação.
Alguns intercambiários ganham muitas gorjetas e usam pra viajar pelos Estados Unidos no último mês antes de deixarem o pais.

Falando assim, parece que o programa não é bom; mas é. Vejo muitos intercambiários que já fizeram outros tipos de intercâmbio na adolescência se candidatarem a este tipo de intercâmbio meio que "pra matar a saudade" da época do intercâmbio. Estes são os que mais se dão bem.
Tem universitário que faz este programa todo ano, em todas as férias da universidade.
O custo é baixo e dá pra ganhar uns trocados, praticar o inglês, conhecer gente e viajar.

Existem duas modalidades desse programa Work And Travel:
- modalidade 1 -> você procura uma agência de intercâmbios, se inscreve no programa, segue a orientação da agência e escolhe uma das vagas de trabalho que a agência lhe oferecer.
- modalidade 2 --> você arruma o emprego por conta própria e procura a agência de intercâmbio para que consiga o documento para o visto e embarca, assim, com tudo dentro da lei.

É um programa com regras e o candidato deverá segui-las a risca, como por exemplo, chegar no horário no trabalho, cumprir a carga horária, seguir o padrão de atendimento do empregador, entre outras.
Quanto melhor for a sua pronúncia no idioma, melhores as chances de conseguir uma boa colocação e melhores ganhos. Mas isso não quer dizer que mesmo falando inglês fluente, você não vai ser uma camareira, por exemplo: sim, você pode ser uma camareira mesmo com o inglês fluente e falará pouco o dia todo.
E lembre-se que você não terá ninguém pra corrigir se você está falando certo ou errado o idioma.

Então, vamos combinar:
- quando for procurar informações sobre esse tipo de trabalho-intercâmbio; preste atenção em cada palavra que é dita, pois você poderá deixar de ouvir o que precisa ser ouvido e deixar passar o que não quer ouvir, por conta das expectativas que alimenta em sua cabeça.
- não vai me fazer como certos candidatos, que nem aqui no Brasil, na própria casa, nem sequer arrumam as próprias camas e ao se verem obrigados a arrumar a cama dos outros no programa, reclamam o tempo todo. Se fizer isso, você foi para o programa errado.

Estamos entendidos? Então quem deve ir para um programa desses? quem quer gastar pouco, praticar o idioma, ganhar algum dinheiro para ter de volta o que investiu, quem está disposto a pegar no batente sem fricote, pra poder viajar, conhecer gente e conhecer uma outra forma de viver.
Beleza?




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.