quarta-feira, 13 de maio de 2015

Faço vestibular ou um intercâmbio?


O que fazer:  vestibular, universidade  ou um intercâmbio?

Eu queria muito que um dia, na minha adolescência, alguém tivesse dito tudo isso pra mim...

Entrevisto pais e adolescentes há mais de 25 anos e o que mais vejo é uma pressão insana no adolescente para que ele tire uma boa nota no tal do ENEM  e nos exames vestibulares e entre numa boa universidade logo em seguida ao término do ensino médio.

E escuto assim: “_ convence meu pai/minha mãe a me deixar ir para o intercâmbio, eu não quero ir pra universidade agora, eu não quero ter que passar no vestibular, eu não quero fazer o que todo mundo faz?”

Entrar na faculdade cedo, logo após o término do Ensino Médio, com 18 anos ou menos, é da cultura do brasileiro. A concorrência do mercado de trabalho e a ansiedade por uma boa colocação faz com que os jovens se vejam obrigados a entrar cedo demais em uma universidade. Mas, depois de uns 4 anos, as universidades despejam no mercado, jovens iguais, sem nada que os diferenciem dos demais e na maioria das vezes mal preparados, sem maturidade e inseguros de seus potenciais. A partir daí, procuram colocações nos mercados de trabalho e começam com baixos salários e continuam a viver na casa dos pais.

Talvez o que os pais brasileiros ainda não entenderam: a expectativa de vida mudou, vivemos muito mais que nossos antepassados, teremos que nos sustentar por muito mais tempo e temos que gostar do que fazemos. Imaginem os nossos filhos.
Então, por que a pressa? Por que o adolescente tem que entrar na universidade com 18 anos? Deixa esse adolescente viver. Ele(a) tem a vida inteira para estudar e para trabalhar. E vai ter que trabalhar muito, muito mais que os pais.

Por isso, talvez uma ótima ideia seja atrasar a entrada na Universidade, em seis meses ou um ano, para poder viver uma experiência no exterior. Além de consolidar outro idioma, o jovem ampliará sua visão de mundo, sua independência, sua flexibilidade e adaptabilidade, maturidade e inteligência para lidar com novas situações, conhecer melhor suas potencialidades, seus limites e poderá voltar muito mais preparado para escolher melhor uma profissão para seguir.

Um programa de High School (ou para um outro tipo de intercâmbio)  contribuirá para o desenvolvimento do estudante. Quando retorna, terá opiniões próprias, e será diferenciado como pessoa e também como profissional. Para o mercado de trabalho, uma experiência internacional é um grande diferencial: as chances de se conseguir melhores estágios, melhores contratações também são maiores, e o começo da vida profissional faz toda a diferença, isso pode ser o ponto chave para fazer a diferença para uma carreira de sucesso.


Pense nisso!

Sugestões de leitura:


High school
http://www.fyi-gente.org/2013/08/high-school














Intercâmbio em Universidade
http://www.fyi-gente.org/2015/02/curso-de-ingles-em-universidade-ou-em.html




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.