domingo, 21 de fevereiro de 2016

High school " francês" - nos países aonde a língua falada é o francês





HIGH SCHOOL – PAÍSES DE IDIOMA FRANCÊS

Países com idioma francês que aconselho: Canadá, Bélgica e França. 

Dividi esses países em 2 grupos e baseado no grupo a que pertence o país e suas características, isso define o investimento a ser feito no intercâmbio.



GRUPO 1: BÉLGICA E FRANÇA (PÚBLICO)
São países de idioma francês em que:
ü  as famílias são voluntárias e não recebem nenhum incentivo financeiro pela hospedagem;
ü  as escolas são públicas e não cobram do mensalidades e taxas estrangeiro;
ü  o programa de intercâmbio precisa ser feito através de uma organização devidamente registrada no país de destino;
ü  o estudante não escolhe região, nem escola ou família;
ü  as vagas são numeradas e limitadas e o prazo para inscrição é bem “apertado”;
ü  o ano escolar começa em agosto/setembro de um ano e termina em junho do ano seguinte. Assim, o estudante que embarca em agosto, pode ir para um semestre, pode ir por um semestre e prorrogar para mais um semestre ou pode ir por um ano letivo. Já o estudante que embarca em Janeiro, somente pode ficar um semestre letivo e é não prorrogável.
ü  o tempo máximo de programa que é permitido é de um ano letivo.
ü  o seguro-saúde embutido no programa deve seguir as regras estabelecidas pelas organizações de intercâmbio no país de destino;
ü  o preço para um ano compensa mais do que um semestre;

Características específicas
Bélgica
A Bélgica é uma opção excelente para quem deseja um destino com idioma francês mas não tem conhecimentos do idioma. Os belgas falam inglês fluentemente e dá para aprender o francês enquanto estiver no intercâmbio, mesmo porque os belgas saem bastante do país para fazer intercâmbio e se colocam na situação de. Os belgas valorizam os laços familiares e preservam suas tradições. As pessoas quase sempre residem na mesma cidade que o restante da família. Saúde material, boa moradia e valores familiares são importantes e é um estilo de vida para os belgas. Ciclismo e futebol são as atividades que mais se destacam. A praia é uma atração popular, assim como as lindas florestas no sul. Caça, pesca e corridas de pombo são feitas em algumas áreas rurais. Todos os belgas têm orgulho da sua rica herança cultural, especialmente em arte e arquitetura. Inúmeros teatros, festivais e museus recebem grandes patrocínios. A Bélgica afirma ter o mais completo sistema de transporte no mundo. Todas as estradas são iluminadas à noite. Colocações disponíveis somente na parte que fala o idioma francês, pois nossos coordenadores somente falam francês.

França:
As escolas possuem um alto padrão acadêmico e muita tradição. Os intercambiários são colocados para frequentar as aulas da área de Humanas. A França é conhecida pela arte, moda e comida; ao norte, tem a região do champagne, indústria do vinho e pela rica história. Em outras regiões, existem belíssimas costas e fazendas com muitas áreas verdes. Culturalmente, a França é um país inacreditavelmente rico. Quase todos os tipos de artes estão lá representadas, e, muitas formas de artes têm seu berço na França. A comida é muito importante na França.
A França ainda oferece o programa particular e o mini high school*
É aconselhável que o estudante esteja estudando o idioma francês pelo menos pelos últimos 2 anos para embarcar para a França. Nem todo mundo fala inglês na França. 
Também existe a opção de escolar particulares. E é um programa rico porque junta vivência na escola e moradia em casa de família. São 4 as escolas oferecidas na opção de private boarding . No entanto, não é possível escolher entre as escolas, pois depende do perfil do aluno. Na França, as escolas boarding hospedam os alunos de segunda à sexta-feira. No final de semana, o estudante passa com uma família hospedeira. Este é o motivo do estudante não poder escolher entre uma ou outra escola boarding, pois vai depender da região aonde a família hospedeira morar.


GRUPO 2: CANADÁ FRANCÊS (ESCOLAS PARTICULARES E PÚBLICAS PAGAS)
ü  as famílias recebem ajuda de custo pela hospedagem, mas é a nível de ajuda de custo e não de vantagem financeira;
ü  o estudante consegue escolher, o distrito escolar (cidade) e a escola;
ü  o estudante pode ficar mais de um ano letivo no programa;
ü  o visto para a parte francesa do Canadá é mais demorado e por isso é necessário a inscrição com bastante antecedência;
ü  O estudante tem opção de escolher entre escolas públicas ou particulares. Se escolher por escolas públicas, por norma do Departamento de Educação Canadense, somente pode ficar em casa de família hospedeira (homestay). Já, o estudante que opta por escolas particulares, pode escolher o tipo de acomodação (homestay ou boarding);
ü  As escolas públicas são subsidiadas pelo governo e gratuitas para os residentes, mas os estudantes internacionais pagam pelo ensino. O estudante escolhe a região e/ou cidade (distrito escolar) em que gostaria de estudar. As escolas têm uma excelente estrutura física e oferecem uma grande variedade de atividades extracurriculares como esportes, teatro, música, artes, fotografia. O programa no país tem um dos melhores sistemas de apoio ao estudante internacional, com coordenadores e famílias extraordinárias. O intercambiário que escolhe o Canadá pode ter certeza de que está escolhendo um dos melhores destinos para intercâmbio no mundo todo.
ü  Em algumas cidades, como por exemplo Montreal, é possível fazer um high school bilíngue: família hospedeira que fala francês e inglês e escola com aulas lecionadas nas duas línguas.
ü  É possível fazer o mini high school e é possível ficar em escolas particulares.

QUEBEC
Mt. Tremblant, Ste Adèle, Ste. Agathe
Província de Quebec, região de Laurentiand, onde o aluno pode ser colocado nas cidades de Ste Agathe, Ste Adele ou Mont Temblant. O aluno que escolhe esta região/cidade mas  não pode escolher a escola em que vai estudar. O destaque maior é para TREMBLANT no coração de Québec, junto às montanhas Laurentianas, a 120 km de Montreal com uma população fixa de 8 352, encontra-se o mais francês de todos os resorts do Canadá: Tremblant. O seu charme, o colorido da sua arquitetura e sua beleza natural incomparável acolhem de braços abertos aqueles que o visitam. Some a isto boutiques exclusivas, bistrôs e cafés com mesinhas nas calçadas, pequenas doçarias e restaurantes de nível internacional - tudo envolvido pelo inigualável charme francês.

MONTREAL
O aluno pode ser colocado nas cidades que formam a região metropolitana da cidade de Montreal. Apesar da cidade ser bilíngüe, com predominância do francês, o aluno terá aulas em inglês na sua escola. O aluno que escolhe esta região não pode escolher a escola em que vai estudar.
As escolas de Montreal são bastante concorridas, por serem bilíngues.

OTTAWA
Ottawa é uma cidade bilíngüe, mas as aulas são em inglês.
Na Província de Ontário o aluno pode ser colocado nas cidades que formam a região metropolitana de Ottawa e não pode escolher em que escola vai estudar. É a capital do Canadá e sua quarta maior cidade com 820 mil habitantes, está localizada na porção leste da província de Ontário, na fronteira com a província de Quebec, às margens do Rio Ottawa.




*Mini high school:
A experiência da sua vida numa high School no exterior sem interromper os seus estudos no Brasil. Uma experiência curta, onde o estudante pode ter um gostinho do que é o programa de High School, sem interromper os estudos no Brasil. Os benefícios são uma melhora significável dos idiomas envolvidos, novas amizades, conhecer a cultura do país e viver nas das cidades mais desejadas do mundo.
O programa pode ter duração de 1 mês,  2 meses, ou 3 meses.
O aluno assistirá aulas curriculares como qualquer aluno matriculado na escola, poderá fazer as aulas de inglês, francês ou alemão oferecidas pela escola e no restante do período, será envolvido em atividades extracurriculares e participará em aulas tradicionais como teatro, arte e educação física com estudantes nativos;
Se o aluno decidir pelos meses de férias no Brasil: Dezembro, Janeiro e Fevereiro, não há necessidade de revalidar os estudos e o aluno, na escola internacional poderá escolher, se assim desejar, apenas matérias que facilitem fazer amizades e o convívio social.
Mas se o aluno decidir por meses aonde estamos em aula no Brasil, por exemplo, fevereiro e março; ou outubro e novembro, por exemplo, haverá necessidade de fazer um acordo com a escola brasileira, tanto para deixar a escola, como para voltar para a escola.  Seria como se o aluno fosse transferido de escola por um período de 2 meses e depois disso, voltasse ao Brasil para seguir os seus estudos normalmente. Cada escola no Brasil tem suas próprias regras para aceitar o aluno de volta: algumas escolas apenas revalidarão o período estudado no exterior; outras poderão aplicar provas para aceitar o aluno de volta em suas salas de aula.


 A experiência de Marina Prado – nossa high school na Bélgica
Aperfeiçoar um idioma no exterior parecia a principal razão pela qual eu devia fazer um intercâmbio. A segunda boa razão era conhecer uma nova cultura. Descobrir na prática TUDO que isso significava e muito mais, foi a maior delícinha da minha vida, so far.

A decisão de ir para Bélgica, um país que quase ninguém que eu conversava sabia onde ficava e investir em um segundo idioma que eu ainda nem falava direito, o francês - foi um risco que eu assumi, com o peso da sã consciência de que aquele dinheiro para pagar o programa era suado e que tinha que valer a pena. Hoje não consigo nem lembrar o porquê em algum momento eu hesitei.
Sobram motivos para ir:
à um ótimo custo e benefício (do programa e do custo de vida),
à um país pequeno territorialmente falando (é sempre vantajoso, dá para se jogar em todas as direções, onde o vento te levar e se aventurar sem limites, sem fronteiras),
àlocalização privilegiada na Europa (tudo de bom as Europas: um novo idioma, uma nova cultura, tudo novo em menos de 2 horas de viagem e fica a dica, trem é barato mas voar pela Ryanair é bom, barato e rápido – credi in me amico menos de 1 Euro uma passagem área, tá bom para você? A gente acorda em Paris e janta em Madrid pagando 15 Euros, não acredita? Então google it -  outro fato é que la Belgique ou België tem 3 idiomas oficiais (francês, neerlandês e alemão) e para quem se vende fácil por comida ou bebida, como eu:  la bière, le pékèt, les frittes, les moules, le chocolate et les gaufres <3 vão te conquistar –  só para registrar nas friteries os acompanhamentos fazem qualquer um salivar e sair da dieta: fricadelle, boulets sauce lapin ou cervelasHeureusement eu não como mais carne =D

Les belges:
Não generalizando os belgas mas os que eu tive a sorte de conhecer, eles gostam de karaokê, beber, dançar em cima da mesa independentemente da faixa etária 15 ou 45 anos (até mesmo a tua host mother, afinal ela é belge),... se abraçar e cantar juntos no meio da festa Les lacs du Connemara de Sardou e no final Je suis malade de Serge Lama kkkkkk – ai deusas da Babilônia, eu rio MUITO só de lembrar. E deixe de pantim, antes de criticar, julgar e condenar, lembre-se it’s a new world, uma nova cultura e etnocentrismo meu bem, é muito feio para qualquer um, principalmente para um futuro intercambista.

Escola:
Quando me falaram que era das 08h30 até 16h30, eu tive dó deles, de mim, dos professores enfim de tudo e todos mas afinal é tranquilo com intervalo de uma hora (bières et frites) e na parte da tarde a gente também tinha aula de natação, tênis, badminton, mini-golfe kkkkk haja paciência e talento para jogar golfe, nom de Dieu rs E as vezes tinha as escapadas depois do almoço para ir para a praia, lá do outro lado do país ou ir bem rapidinho para Maastrich nos Países Baixos, porque a roupa lá era bem mais descolada, ou apenas ir visitar os castelos de Bruges, se perder no Carré de Liège, treinar o inglês ou neerlandês em Bruxelles – coisas rotineiras quando se faz um intercâmbio na Bélgica =p
O mais legal da escola na Bélgica é que você escolhe qual grade escolar quer seguir: exatas, humanas ou biológicas – algo assim. Sei que eu escolhi a grade dos idiomas: tinha aula de inglês (alto nível, melhor que muito curso top do Brasil), espanhol, neerlandês, latim e claro francês – e só uma ou duas horas de química, física ou biologia – agora meu amigo, com matemática a gente passa vergonha. Pior que não tem nem como falar que os números e as operações matemáticas são diferentes – só Jesus salva.
As aulas de filosofia, eu nunca mais vou esquecer <3

E para quem se preocupa demais com o inglês e pensa que não dá para aperfeiçoar pois não é a primeira língua do país, na real onde você acha que os canadenses, norte-americanos, neozelandeses, australianos e todos os outros anglófonos fazem intercâmbio?? Pois bem, você pode praticar inglês com eles, as reuniões do intercâmbio lá são em inglês, as aulas de inglês são hardcore e depois com tanto amigo anglófono você certamente irá visitá-los um dia – um voo para os Estados Unidos, hoje em dia, é mais barato que minha passagem João Pessoa – São Paulo.

Na minha sala havia outras 3 intercambistas (Katie + Lauren do Canadá e Andréa do México), ainda hoje a gente se fala e somos super amigas. Eu já fui para o Canadá e México, visitá-las, estudar também - afinal a Bélgica foi só o meu primeiro intercâmbio depois que eu provei da fruta, fui intercambiar por outros horizontes Canadá, Argentina e África do Sul mas la Belgique sempre terá um lugar especial no meu coração.


Se entusiasmou com a experiência de Marina?
Então, que tal um programa de high school num país de língua francesa?

Se quiser saber mais detalhes, etapas de inscrição, valores e datas de início, entre em contato conosco, que será um prazer enorme te contar mais histórias como as da Marina.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.