sexta-feira, 21 de setembro de 2018

O(a) seu(sua) filho(a) adolescente nos EUA (para estudar e morar por um ano) custa o mesmo que no Brasil.

Percebo que muitos pais não tem muita noção sobre custos de intercâmbios, mesmo porque isso não é tão divulgado e decidi esclarecer aqui que não custa um absurdo. Mas, é muito difícil convencer alguém do que estou falando.

Diante disso, decidi fazer um paralelo e usei para isso o que gasto com o meu filho aqui no Brasil. Meu filho tem 15 anos e está no 1º ano do ensino médio em um colégio particular. Ele faz aulas particulares de inglês e por uma questão de saúde pratica natação. Ele vai bem na escola e não gasto com professores particulares, mas já gastei muito com fono. Tem hábitos simples: adora cinema e jogos de computador. Também atormenta a cachorra nas horas vagas.

E o que eu ganho com isso?

- viver em um país estrangeiro, conviver com a família hospedeira ou a comunidade escolar, (no caso das escolas boardings) e também com a sociedade local, experimentar a vida como estudante regular e fazer amigos de diversas nacionalidades produz resultados que vão muito além do aprendizado da língua estrangeira.
- adquirir habilidade para ir e vir de qualquer lugar do mundo, conviver e transitar nas diferentes culturas, compreender perspectivas globais, além do amadurecimento pessoal e do desenvolvimento de autonomia para enfrentar obstáculos da vida cotidiana são alguns dos benefícios dessa experiência única.

O  programa de High School consiste em fazer uma parte do ensino médio em outro país. A nossa lei de Diretrizes e Bases permite a revalidação do tempo estudado no exterior e, desta forma, o aluno consegue aproveitar no Brasil, o tempo estudado no exterior.
Eu costumo dizer que quem faz um ano de ensino médio nos EUA pode viver em qualquer lugar do mundo. Falo isso por se tratar do programa que mais exige do estudante: ele/ela tem que tirar notas na escola, tem que participar da vida da família e seguir regras. E vai entender muita coisa, como por exemplo, como é viver em um país onde as leis funcionam.
Eu poderia escrever mais um tantão aqui sobre os benefícios. A decisão de deixar ir é que é complicada, também sei disso. Acredito que se tiver mais informações do programa se sentirá seguro em tomar esta decisão. E pra isso, sigo a disposição.

Até mais,

Perpétua Devite

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.