domingo, 6 de outubro de 2019

E por que essas famílias hospedam?


O que elas ganham com isso? Qual o verdadeiro motivo?

Estas são algumas das perguntas que eu escuto quando digo que as famílias são voluntárias e não recebem nenhuma vantagem ou incentivo financeiro para hospedar um estudante de high school.

E são diversos os países onde a família é voluntária para hospedar:
- Estados Unidos (no programa J-1)
- Bélgica
- França
- Alemanha
- Áustria
- Finlândia
- Noruega
- Dinamarca
- Suíça
- Suécia
- Itália
- Rússia
- Argentina
- Chile
- Holanda

Os motivos são vários, são genuínos e de acordo com o espírito do programa:
- porque querem dar uma experiência diferente aos filhos, para que os filhos conheçam outra cultura
- porque tem crianças adotadas e querem que as crianças conheçam mais sobre a cultura de onde vieram
- porque adoram jovens (no caso, adolescentes)
- porque os filhos já casaram e sentem falta de filhos dentro de casa
- porque o filho-filha demonstrou interesse em ter um irmão ou irmã
- porque o vizinho hospedou e adoraram o intercambiário do vizinho e acharam genial a experiência
- para conhecer pessoas novas
- para ver se o filho ou a filha segue o exemplo do intercambiário e melhore as notas, melhore como pessoa

E o mais legal é que não fica apenas na hospedagem. Tem que fazer parte da família.
O que eu acho mais bacana é o tanto de coisas que fazem pelos meninos e meninas intercambiários.

Certa vez, um high school ganhou bolsa integral para jogar beisebol pela Universidade de Chicago. No entanto, precisaria passar por exames médicos, por conta dos problemas de saúde. Os exames ficavam em US$ 5.000. Os pais daqui disseram pra ele esquecer isso e voltar. Mas no dia da formatura, a família hospedeira entregou um envelope a ele com os US$ 5.000, haviam feito uma "vaquinha" entre eles. E o menino fez os exames e foi admitido pra jogar pela Universidade de Chicago, com bolsa de 100%.

Eu já vi bastante coisa (mas ainda não tudo)...
- já vi um pai hospedeiro vender refrigerantes na porta de um show pra poder fazer uma festa de aniversário para o intercambiário
- já vi um pai hospedeiro levar a menina intercambiária quase todos os dias na cidade vizinha para que ela praticasse o balé.
- já vi mãe hospedeira levar o menino intercambiário várias vezes por semana para tocar piano e fazer fisioterapia para que os dedos das mãos funcionassem direito por conta de um acidente do passado
- já vi família hospedeira fazer um fuzuê na cidade porque o filho intercambiário ia disputar a final do campeonato e todo mundo precisava assisti-lo.
- já vi famílias falarem: "faz o teste na universidade aqui da cidade, se você passar, você pode morar comigo e eu pago a universidade."
- já vi uma mãe americana sair de New Hampshire e dirigir até a Califórnia porque o filho intercambiário tinha o sonho de conhecer a Califórnia.
- já vi estudante ganhar um tour pela Europa porque tinha paciência com o irmão autista e se tornou um grande amigo do irmãozinho holandês.
- já vi intercambiário voltar pra visitar a família porque a família hospedeira pediu, visto que as crianças sentiam muita falta dele.
- já vi irmãos do high school chamarem o brasileiro pra padrinho de casamento, para assistir a formatura, pra ir no nascimento do filho e etc.
- uma mãe hospedeira canadense dizer: "não sei como será minha vida sem ela aqui e não entendo como posso amar tanto alguém que nem pari."
- meninos intercambiários me falarem "_consegui tirar meu pai da depressão e hoje ele se sente menos culpado por alguns acontecimentos do passado".
- etc etc etc


As historias são muitas, mas o que é preciso saber que esses meninos e meninas intercambiários conquistaram isso, pelo jeito de ser.
O menino da bolsa de Chicago era o único que tinha paciência com o irmão hiperativo americano. Sentava-se com o irmão e o ajudava com a lição de casa todos os dias. E então, a gente entende também a gratidão da família hospedeira.

O programa de intercâmbio sugere troca, é troca. E dedicação. Esses intercambiários fizeram a diferença na vida de suas famílias hospedeiras e por onde passaram.
Acredito que cada intercambiário tenha uma missão. E cada um tem que descobrir qual é a sua.  Mas, o final da historia é sempre ter contribuído para melhorar a vida de alguém e de alguma forma fazer algo para que o mundo seja um lugar melhor. E também se tornar um ser humano melhorado.

E você, já descobriu qual é a sua missão?

O ano passado, recebemos na FYI uma família hospedeira e o intercambiário e fizemos uma sequência de videos que contam a história:
https://www.youtube.com/watch?v=C6SyFRq_u3U
https://www.youtube.com/watch?v=qbTlcgoIZTI&t=59s
https://www.youtube.com/watch?v=Vr2wE_gLg-s&t=5s
https://www.youtube.com/watch?v=KDsHtA1DXlo
https://www.youtube.com/watch?v=dmfaAy2WKZg&t=29s
https://www.youtube.com/watch?v=L0HM92rE6ts
https://www.youtube.com/watch?v=1grQTM8GSRU&t=83s





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelos seus comentários e considerações. Entraremos em contato em breve.